66. Lugares para a formação dos discípulos missionários: Os movimentos eclesiais e novas comunidades




1. O que diz o texto?
311. Os novos movimentos e comunidades são um dom do Espírito Santo para a Igreja. Neles, os fiéis encontram a possibilidade de se formar cristãmente, crescer e comprometer-se apostolicamente até ser verdadeiros discípulos missionários. Assim exercem o direito natural e batismal de livre associação, como indicou o Concílio vaticano II e o confirma o Código de Direito Canônico. Seria conveniente incentivar alguns movimentos e associações que mostram hoje certo cansaço ou fraqueza e convidá-los a renovar seu carisma original, que não deixa de enriquecer a diversidade com que o Espírito se manifesta e atua no povo cristão.
312. Os movimentos e novas comunidades constituem valiosa contribuição na realização da Igreja Particular. Por sua própria natureza, expressam a dimensão carismática da Igreja: "Na Igreja não há contraste ou contraposição entre a dimensão institucional e a dimensão carismática, da qual os movimentos são expressão significativa, porque ambos são igualmente essenciais para a constituição divina do Povo de Deus". Na vida e ação evangelizadora da Igreja, constatamos que no mundo moderno devemos responder a novas situações e necessidades da vida cristã. Nesse contexto, também os movimentos e novas comunidades são uma oportunidade para que muitas pessoas afastadas possam ter uma experiência de encontro vital com Jesus Cristo, e assim recuperar sua identidade batismal e sua ativa participação na vida da Igreja. Neles "podemos ver a multiforme presença e ação santificadora do Espírito".
313. Para aproveitar melhor os carismas e serviços dos movimentos eclesiais no campo da formação dos leigos, desejamos respeitar seus carismas e sua originalidade, procurando que se integrem mais plenamente na estrutura originária que acontece na diocese. Ao mesmo tempo, é necessário que a comunidade diocesana acolha a riqueza espiritual e apostólica dos movimentos. É verdade que os movimentos devem manter sua especificidade, mas dentro de uma profunda unidade com a Igreja particular, não só de fé mas de ação. Quanto mais se multiplicar a riqueza dos carismas, mais os bispos serão chamados a exercer o discernimento espiritual para favorecer a necessária integração dos movimentos na vida diocesana, apreciando a riqueza de sua experiência comunitária, formativa e missionária. Convêm dar especial acolhida e valorização aos movimentos eclesiais que já passaram pelo reconhecimento e discernimento da Santa Sé, considerados como dons e bens para a Igreja universal
. (DAp 311-313)

2. O que diz o texto para mim, para nós?-  Os novos movimentos e comunidades são um dom do Espírito Santo para a Igreja.
- Neles, os fiéis encontram a possibilidade de se formar cristãmente, crescer e comprometer-se apostolicamente até ser verdadeiros discípulos missionários. - Seria conveniente incentivar alguns movimentos e associações que mostram hoje certo cansaço ou fraqueza e convidá-los a renovar seu carisma original, que não deixa de enriquecer a diversidade com que o Espírito se manifesta e atua no povo cristão.
- Os movimentos e novas comunidades constituem valiosa contribuição na realização da Igreja Particular. Por sua própria natureza, expressam a dimensão carismática da Igreja: "Na Igreja não há contraste ou contraposição entre a dimensão institucional e a dimensão carismática, da qual os movimentos são expressão significativa, porque ambos são igualmente essenciais para a constituição divina do Povo de Deus". Na vida e ação evangelizadora da Igreja, constatamos que no mundo moderno devemos responder a novas situações e necessidades da vida cristã.
- Os movimentos e novas comunidades são uma oportunidade para que muitas pessoas afastadas possam ter uma experiência de encontro vital com Jesus Cristo, e assim recuperar sua identidade batismal e sua ativa participação na vida da Igreja.
- Neles "podemos ver a multiforme presença e ação santificadora do Espírito".
- Para aproveitar melhor os carismas e serviços dos movimentos eclesiais no campo da formação dos leigos, desejamos respeitar seus carismas e sua originalidade, procurando que se integrem mais plenamente na estrutura originária que acontece na diocese.
- É necessário que a comunidade diocesana acolha a riqueza espiritual e postólica dos movimentos.
- Quanto mais se multiplicar a riqueza dos carismas, mais os bispos serão chamados a exercer o discernimento espiritual para favorecer a necessária integração dos movimentos na vida diocesana, apreciando a riqueza de sua experiência comunitária, formativa e missionária.
- Convêm dar especial acolhida e valorização aos movimentos eclesiais que já passaram pelo reconhecimento e discernimento da Santa Sé, considerados como dons e bens para a Igreja universal.

3. O que o texto me leva a dizer a Deus?Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental.

65. Lugares para a formação dos discípulos missionários: as pequenas comunidades eclesiais

1. O que diz o texto?
307. "Constata-se que nos últimos anos está crescendo a espiritualidade de comunhão e que, com diversas metodologias, não poucos esforços têm sido feitos para levar os leigos a se integrar nas pequenas comunidades eclesiais, que vão mostrando frutos abundantes. Nas pequenas comunidades eclesiais temos um meio privilegiado para a Nova Evangelização e para chegar a que os batizados vivam como autênticos discípulos e missionários de Cristo.
308. São elas um ambiente propício para escutar a Palavra de Deus, para viver a fraternidade, para animar na oração, para aprofundar processos de formação na fé e para fortalecer o exigente compromisso de ser apóstolos na sociedade de hoje. São lugares de experiência cristã e evangelização que, em meio à situação cultural que nos afeta, secularizada e hostil à Igreja, se fazem muito mais necessários.
309. Se desejamos pequenas comunidades vivas e dinâmicas, é necessário despertar nelas uma espiritualidade sólida, baseada na Palavra de Deus, que as mantenham em plena comunhão de vida e ideais com a Igreja local e, em particular, com a comunidade paroquial. Por outro lado, conforme há anos estamos propondo na América Latina, a paróquia chegará a ser "comunidade de comunidades".
310. Destacamos que é preciso reanimar os processos de formação de pequenas comunidades no Continente, pois nelas temos uma fonte segura de vocações ao sacerdócio, à vida religiosa e à vida leiga com especial dedicação ao apostolado. Através das pequenas comunidades, também se poderia conseguir chegar aos afastados, aos indiferentes e aos que alimentam descontentamento ou ressentimentos em relação à Igreja. "
  (DAp 307-310)

2. O que diz o texto para mim, para nós?
- Nas pequenas comunidades eclesiais temos um meio privilegiado para a Nova Evangelização e para chegar a que os batizados vivam como autênticos discípulos e missionários de Cristo.
- São elas um ambiente propício para escutar a Palavra de Deus, para viver a fraternidade, para animar na oração, para aprofundar processos de formação na fé e para fortalecer o exigente compromisso de ser apóstolos na sociedade de hoje. - São lugares de experiência cristã e evangelização que, em meio à situação cultural secularizada e hostil à Igreja, se fazem muito mais necessários.
- É preciso reanimar os processos de formação de pequenas comunidades no Continente
- Nas comunidades temos uma fonte segura de vocações ao sacerdócio, à vida religiosa e à vida leiga com especial dedicação ao apostolado. - Nas pequenas comunidades, também se poderia conseguir chegar aos afastados, aos indiferentes e aos que alimentam descontentamento ou ressentimentos em relação à Igreja.



3. O que o texto me leva a dizer a Deus?
Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental.

64. Lugares para a formação dos discípulos missionários: as Paróquias

1. O que diz o texto?
 A dimensão comunitária é intrínseca ao mistério e à realidade da Igreja que deve refletir a Santíssima Trindade. Essa dimensão especial tem sido vivida de diversas maneiras ao longo dos séculos. A Igreja é comunhão. As Paróquias são células vivas da Igreja e lugares privilegiados em que a maioria dos fiéis tem uma experiência concreta de Cristo e de sua Igreja. Encerram inesgotável riqueza comunitária porque nelas se encontra imensa variedade de situações, idades e tarefas. Sobretudo hoje, quando as crises da vida familiar afeta tantas crianças e jovens, as Paróquias oferecem espaço comunitário para se formar na fé e crescer comunitariamente.

Portanto, deve-se cultivar a formação comunitária especialmente na paróquia. Com diversas celebrações e iniciativas, principalmente com a Eucaristia dominical, que é "momento privilegiado do encontro das comunidades com o Senhor ressuscitado", os fiéis devem experimentar a paróquia como família na fé e na caridade, onde mutuamente se acompanhem e se ajudem no seguimento de Cristo.

Se queremos que as paróquias sejam centros de irradiação missionária em seus próprios territórios, elas devem ser também lugares de formação permanente. Isso exige que se organizem nelas várias instâncias formativas que assegurem o acompanhamento e o amadurecimento de todos os agentes pastorais e dos leigos inseridos no mundo. As paróquias vizinhas também podem unir esforços nesse sentido, sem desperdiçar as ofertas formativas da Diocese e da Conferência Episcopal. (Dap 304-306)

2. O que diz o texto para mim, para nós?
- Paróquias são células vivas da Igreja e lugares privilegiados em que a maioria dos fiéis tem uma experiência concreta de Cristo e de sua Igreja
- Cultivar a formação comunitária especialmente na paróquia. Com diversas celebrações e iniciativas, principalmente com a Eucaristia dominical
- As Paróquias são lugares de formação permanente.

3. O que o texto me leva a dizer a Deus?
Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental

63. Lugares de formação para os discípulos missionários: A família

1. O que diz o texto?
 A família, "patrimônio da humanidade", constitui um dos tesouros mais valiosos dos povos latino-americanos. Ela foi e é o lugar e escola de comunhão, fonte de valores humanos e cívicos, lar onde a vida humana nasce e se acolhe generosa e responsavelmente. Para que a família seja "escola de fé" e possa ajudar os pais a serem os primeiros catequistas de seus filhos, a pastoral familiar deve oferecer espaços de formação, materiais catequéticos, momentos celebrativos, que lhes permitam cumprir sua missão educativa. A família é chamada a introduzir os filhos no caminho da iniciação cristã. A família, pequena Igreja, deve ser, junto com a Paróquia, o primeiro lugar para a iniciação cristã das crianças. Ela oferece aos filhos um sentido cristão da existência e os acompanha na elaboração de seu projeto de vida, como discípulos missionários.

Além disso, é dever dos pais, especialmente através de seu exemplo de vida, a educação dos filhos para o amor como dom de si mesmos e a ajuda que eles prestam para descobrir sua vocação de serviço, seja na vida leiga como na vida consagrada. Desse modo, a formação dos filhos como discípulos de Jesus Cristo se realiza nas experiências da vida diária na própria família. Os filhos têm o direito de poder contar com o pai e a mãe para que cuidem deles e os acompanhem até a plenitude de vida. A "catequese familiar", implementada de diversas maneiras, tem-se revelado como ajuda proveitosa à unidade das famílias, oferecendo, além disso, possibilidade eficiente de formar os pais de família, os jovens e as crianças, para que sejam testemunhas firmes da fé em suas respectivas comunidades. (DAp 302-303)

2. O que diz o texto para mim, para nós?

- A família deve ser "escola de fé"
- A pastoral familiar deve oferecer espaços de formação, materiais catequéticos, momentos celebrativos
- A família deve introduzir os filhos na fé
- É dever dos pais o exemplo de vida
- A catequese familiar é uma excelente ajuda


3. O que o texto me leva a dizer a Deus?Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental

62. Catequese permanente

1. O que diz o texto?
 A catequese não deve ser só ocasional, reduzida a momentos prévios aos sacramentos ou à iniciação cristã, mas sim "itinerário catequético permanente". Por isso, compete a cada Igreja particular, com a ajuda das Conferências Episcopais, estabelecer um processo catequético orgânico e progressivo que se estenda por toda a vida, desde a infância até à terceira idade, levando em consideração que o Diretório Geral de Catequese considera a catequese com adultos como a forma fundamental da educação na fé. Para que em verdade o povo conheça Cristo a fundo e o siga fielmente, deve ser conduzido especialmente na leitura e meditação da Palavra de Deus, que é o primeiro fundamento de uma catequese permanente.

 A catequese não pode se limitar a uma formação meramente doutrinal, mas precisa ser uma verdadeira escola de formação integral. Portanto, é necessário cultivar a amizade com Cristo na oração, o apreço pela celebração litúrgica, a experiência comunitária, o compromisso apostólico mediante um permanente serviço aos demais. Para isso, seriam úteis alguns subsídios catequéticos elaborados a partir do Catecismo da Igreja Católica e do Compêndio da Doutrina Social da Igreja, estabelecendo cursos e escolas de formação permanente dos catequistas.

Deve-se dar catequese apropriada que acompanhe a fé já presente na religiosidade popular. Maneira concreta pode ser a oferta de um processo de iniciação cristã com visitas às famílias, onde não só se comuniquem a elas os conteúdos da fé, mas que também as conduza à prática da oração familiar, à leitura orante da Palavra de Deus e ao desenvolvimento das virtudes evangélicas, que as consolidem cada vez mais como Igrejas domésticas. Para esse crescimento na fé, também é conveniente aproveitar pedagogicamente o potencial educativo presente na piedade popular mariana. Trata-se de um caminho educativo que, cultivando o amor pessoal à Virgem, verdadeira "educadora na fé" que nos leva a nos assemelhar cada vez mais a Jesus Cristo, provoque a apropriação progressiva de suas atitudes. (DAp 298-300).





2. O que diz o texto para mim, para nós?
A catequese permanente deve ter
- um itinerário permanente
Deve ter um processo orgênico e progressivo da infância à idade adulta
- Não é meramente doutrinal, ma formação integral
- Cultivar: a oração, a celebração litúrgica, a experi~encia comunitária, compromisso
- Subsídios elaborados a partir do catecismo da Igreja Católica e do Compêndio da Doutrina social da Igreja
- Acompanhe  fé já presente na religiosidade popular
- Exercitar a oração familiar, a Leitura Orante da Palavra
- Ter presente a piedade mariana
- Cultivo de virtudes.


3. O que o texto me leva a dizer a Deus?

Rezo com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria
em comunhão com a Missão Continental.

61. Lugar da iniciação cristã: Paróquia

1. O que diz o texto?
A paróquia precisa ser o lugar onde se assegure a iniciação
cristã e terá como tarefas irrenunciáveis: iniciar na vida
cristã os adultos batizados e não suficientemente evangelizados;
educar na fé as crianças batizadas em um processo que as leve
a completar sua iniciação cristã; iniciar os não batizados que,
havendo escutado o querigma, querem abraçar a fé. Nessa tarefa,
o estudo e a assimilação do Ritual de Iniciação Cristã de Adultos
é referência necessária e apoio seguro.(DAp 293).

2. O que diz para mim, para nós?
- Que paróquia precisa ser o lugar onde se assegure a iniciação
cristã.
-  que a Paróquia terá como tarefas irrenunciáveis:
    *iniciar na vida
cristã os adultos batizados e não suficientemente evangelizados
   *educar na fé as crianças batizadas em um processo que as leve
a completar sua iniciação cristã;
    * que deve iniciar os não batizados que, havendo escutado o querigma, querem abraçar a fé.
- que o estudo e a assimilação do Ritual de Iniciação Cristã de Adultos
é referência necessária e apoio seguro.


O que o texto me leva a dizer a Deus?
Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental

60. Formação: Características do discípulo.

1. O que diz o texto
 Como características do discípulo, indicadas pela iniciação cristã, destacamos: que ele tenha como centro a pessoa de Jesus Cristo, nosso Salvador e plenitude de nossa humanidade, fonte de toda maturidade humana e cristã; que tenha espírito de oração, seja amante da Palavra, pratique a confissão freqüente e participe da Eucaristia; que se insira cordialmente na comunidade eclesial e social, seja solidário no amor e fervoroso missionário.(DAP 292)


2. O que diz para mim, para nós.
- Que o discípulo tenha como centro a pessoa de Jesus Cristo, nosso Salvador e plenitude de nossa humanidade, fonte de toda maturidade humana e cristã;
- que tenha espírito de oração,
- seja amante da Palavra,
- pratique a confissão freqüente
- e participe da Eucaristia;
- que se insira cordialmente na comunidade eclesial e social,
- seja solidário no amor e fervoroso missionário.

O que o texto me leva a dizer a Deus?
Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental

59. Educação na fé: aprendizagem gradual

O que diz o texto?

"Ser discípulo é dom destinado a crescer. A iniciação cristã dá a possibilidade de uma aprendizagem gradual no conhecimento, no amor e no seguimento de Cristo. Dessa forma, ela forja a identidade cristã com as convicções fundamentais e acompanha a busca do sentido da vida. É necessário assumir a dinâmica catequética da iniciação cristã. Uma comunidade que assume a iniciação cristã renova sua vida comunitária e desperta seu caráter missionário. Isso requer novas atitudes pastorais por parte dos bispos, presbíteros, diáconos, pessoas consagradas e agentes de pastoral." (DAp 291).

O que o texto me diz?

O texto me fala da iniciação cristã do discípulo:
- A iniciação cristã dá a possibilidade de uma aprendizagem gradual no conhecimento,
no amor e no seguimento de Cristo;
- ela forja a identidade cristã com as convicções fundamentais e
acompanha a busca do sentido da vida.
- É necessário assumir a dinâmica catequética da iniciação cristã.
- Uma comunidade que assume a iniciação cristã renova sua vida comunitária
- e desperta seu caráter missionário.
- Requer novas atitudes pastorais por
parte dos bispos, presbíteros, diáconos, pessoas consagradas e
agentes de pastoral.

O que o texto me leva a dizer a Deus?

Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental.

58. Educação na fé:experiência do encontro com Cristo

O que diz o texto?
" Recordamos que o caminho de formação do cristão, na
tradição mais antiga da Igreja, “teve sempre caráter de experiência,
na qual era determinante o encontro vivo e persuasivo com
Cristo, anunciado por autênticas testemunhas”. Trata-se de
uma experiência que introduz o cristão numa profunda e feliz
celebração dos sacramentos, com toda a riqueza de seus sinais.
Desse modo, a vida vem se transformando progressivamente
pelos santos mistérios que se celebram, capacitando o cristão a
transformar o mundo. Isso é o que se chama “catequese mistagógica
”.
" (DAp 290).

O que o texto me diz?
O texto me fala do caráter da experiência:
- fala da  tradição da Igreja na formação do cristão;
- era determinante oencontro vivo com Cristo;
- anunciado por autênticas testemunhas;
- introduz na celebração dos sacramentos;
- transformando o cristão e o capacitando a transformar o mundo;
- é a chamda "catequese mistagógica"

O que o texto me leva a dizer a Deus?
Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental.

57. Educação na fé: processo do querigma

O que diz o texto?
"Sentimos a urgência de desenvolver em nossas comunidades
um processo de iniciação na vida cristã que comece pelo
querigma e que, guiado pela Palavra de Deus, conduza a um encontro
pessoal, cada vez maior, com Jesus Cristo, perfeito Deus
e perfeito homem,166 experimentado como plenitude da humanidade
e que leve à conversão, ao seguimento em uma comunidade
eclesial e a um amadurecimento de fé na prática dos sacramentos,
do serviço e da missão.." (DAp 289)

O que o texto me diz?
O texto me fala do querigma:
- fala da  urgência de desenvolver em nossas comunidades
um processo de iniciação na vida cristã que comece pelo
querigma
-  que, guiado pela Palavra de Deus,
- que conduza a um encontro pessoal, cada vez maior, com Jesus Cristo, perfeito Deus e perfeito homem, experimentado como plenitude da humanidade
- e que leve à conversão,
- ao seguimento em uma comunidade eclesial e
- a um amadurecimento de fé na prática dos sacramentos.

O que o texto me leva a dizer a Deus?
Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental.

56. Educação na fé: querigma

O que diz o texto?
"A iniciação cristã, que inclui o querigma, é a maneira prática de colocar alguém em contato com Jesus Cristo e iniciá-lo no discipulado. Dá-nos, também, a oportunidade de fortalecer a unidade dos três sacramentos da iniciação, e aprofundar o rico sentido deles. A iniciação cristã, propriamente falando, refere-se à primeira iniciação nos mistérios da fé, seja na forma do catecumenato batismal para os não batizados, seja na forma do catecumenato pós-batismal para os batizados não suficientemente catequisados. Esse catecumenato está intimamente unido aos sacramentos da iniciação: batismo, confirmação e eucaristia, celebrados solenemente na Vigília Pascal. Teríamos que distingui-la, portanto, de outros processos catequéticos e formativos que podem ter a iniciação cristã como base." (DAp 288)

O que o texto me diz? O texto me fala do querigma:
- querigma, é a maneira prática de colocar alguém em contato com Jesus Cristo e iniciá-lo no discipulado.
- Dá também, a oportunidade de fortalecer a unidade dos três sacramentos da iniciação, e aprofundar o rico sentido deles.
- A iniciação cristã, propriamente falando, refere-se à primeira iniciação nos mistérios da fé, seja na forma do catecumenato batismal para os não batizados, seja na forma do catecumenato pós-batismal para os batizados não suficientemente catequisados.
- Esse catecumenato está  intimamente unido aos sacramentos da iniciação: batismo, confirmação e eucaristia, celebrados solenemente na Vigília Pascal.

O que o texto me leva a dizer a Deus? Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental.

55. Desafio: educar na fé

O que diz o texto?
"Isso constitui grande desafio que questiona a fundo
a maneira como estamos educando na fé e como estamos alimentando a experiência cristã; desafio que devemos encarar com decisão, coragem e criatividade, visto que em muitas partes a iniciação cristã tem sido pobre ou fragmentada. Ou educamos na fé, colocando as pessoas realmente em contato com Jesus Cristo e convidando-as para seguí-lo, ou não cumpriremos nossa missão evangelizadora. Impõe-se a tarefa irrenunciável de oferecer modalidade de iniciação cristã, que além de marcar o quê, também dê elementos para o quem, o como e o onde se realiza. Dessa forma, assumiremos o desafio de uma nova evangelização, à qual temos sido reiteradamente convocados."  (DAp 287)

O que o texto me diz? O texto me fala de desafios na educação à fé:
- grande desafio que questiona a fundo a maneira como estamos educando na fé e como estamos alimentando a experiência cristã;
- devemos encarar este desafio com decisão, coragem e criatividade, visto que em muitas partes a iniciação cristã tem sido pobre ou fragmentada.
- grande desafio: ou educamos na fé, colocando as pessoas realmente em contato com Jesus Cristo e convidando-as para seguí-lo, ou não cumpriremos nossa missão evangelizadora.
- elementos indispensáveis da educaçõ à fé: para quem,  como e  onde se realiza.

O que o texto me leva a dizer a Deus? Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental.

54. Iniciação cristã: cristãos que não participam

O que diz o texto?
"São muitos os cristãos que não participam na Eucaristia dominical nem recebem com regularidade os sacramentos, nem se inserem ativamente na comunidade eclesial. Sem esquecer a importância da família na iniciação cristã, esse fenômeno nos desafia profundamente a imaginar e organizar novas formas de nos aproximar deles para ajudá-los a valorizar o sentido da vida sacramental, da participação comunitária e do compromisso cidadão. Temos alta porcentagem de católicos sem a consciência de sua missão de ser sal e fermento no mundo, com identidade cristã fraca e vulnerável. " (DAp 286)

O que o texto me diz?
O texto me fala de cristãos que não participam da vida eclesial:
-  São muitos os cristãos que não participam na Eucaristia dominical nem recebem com regularidade os sacramentos, nem se inserem ativamente na comunidade eclesial.
- Importância da família na iniciação cristã,
- Isso nos desafia profundamente a imaginar e organizar novas formas de nos aproximar deles para ajudá-los a valorizar o sentido da vida sacramental, da participação comunitária e do compromisso cidadão.
- É alta a porcentagem de católicos sem a consciência de sua missão de ser sal e fermento no mundo, com identidade cristã fraca e vulnerável.
Existe na minha comunidade este fenômeno? Quais formas utilizamos  para aproximar os "afastados"?

O que o texto me leva a dizer a Deus?
Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental

Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental.

53. Formação: espiritualidade impregnada e motivada pelo Espírito

O que diz o texto?
"Quando o impulso do Espírito impregna e motiva todas as áreas da existência, então penetra também e configura a vocação específica de cada pessoa. Assim se forma e se desenvolve a espiritualidade própria de presbíteros, de religiosos e religiosas, de pais de família, de empresários, de catequistas etc. Cada uma das vocações tem um modo concreto e diferente de viver a espiritualidade, que dá profundidade e entusiasmo para o exercício concreto de suas tarefas. Dessa forma, a vida no Espírito não nos fecha em intimidade cômoda e fechada, mas sim nos torna pessoas generosas e criativas, felizes no anúncio e no serviço missionário. Torna-nos comprometidos com os reclamos da realidade e capazes de encontrar nela profundo significado em tudo o que nos cabe fazer pela Igreja e pelo mundo." (DAp 285)

O que o texto me diz?
O texto me fala de uma  espiritualidade impregnada e motivada pelo Espírito:
-  quando o Espírito impregna e motiva todas as áreas da existência, então penetra também e configura a vocação específica de cada pessoa.
- Assim se forma e se desenvolve a espiritualidade própria de presbíteros, de religiosos e religiosas, de pais de família, de empresários, de catequistas etc.
- Cada uma das vocações tem um modo concreto e diferente de viver a espiritualidade, que dá profundidade e entusiasmo para o exercício concreto de suas tarefas.
- A vida no Espírito não nos fecha em intimidade cômoda e fechada, mas sim nos torna pessoas generosas e criativas, felizes no anúncio e no serviço missionário.
- Torna-nos comprometidos com a realidade e capazes de encontrar nela profundo significado em tudo o que nos cabe fazer pela Igreja e pelo mundo

Percebo na minha comunidade esta formação na espiritualidade? Como?

O que o texto me leva a dizer a Deus? Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental
.

52. Formação: na espiritualidade da ação missionária

O que diz o texto?
"Uma formação na espiritualidade da ação missionária. É necessário formar os discípulos numa espiritualidade da ação missionária, que se baseia na docilidade ao impulso do Espírito, à sua potência de vida que mobiliza e transfigura todas as dimensões da existência. Não é uma experiência que se limita aos espaços privados da devoção, mas que procura penetrá-los completamente com seu fogo e sua vida. O discípulo e missionário, movido pelo estímulo e ardor que provêm do Espírito, aprende a expressá-lo no trabalho, no diálogo, no serviço e na missão cotidiana." (DAp 284)

O que o texto me diz?
O texto me fala de uma formação na espiritualidade da ação missionária
- é necessário formar os discípulos numa espiritualidade da ação missionária,
- deve basear-se na docilidade ao impulso do Espírito, à sua potência de vida que mobiliza e transfigura todas as dimensões da existência.
- Não é uma experiência que se limita aos espaços privados da devoção, mas que procura penetrá-los completamente com seu fogo e sua vida.
- O discípulo e missionário, movido pelo estímulo e ardor que provêm do Espírito, aprende a expressá-lo no trabalho, no diálogo, no serviço e na missão cotidiana.
Existe na minha comunidade esta formação na espiritualidade? Como?

O que o texto me leva a dizer a Deus? Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental.

51. Formação: dos leigos e leigas


O que diz o texto?
"Destacamos que a formação dos leigos e leigas deve contribuir, antes de mais nada, para sua atuação como discípulos missionários no mundo, na perspectiva do diálogo e da transformação da sociedade. É urgente uma formação específica para que possam ter incidência significativa nos diferentes campos, sobretudo “no vasto mundo da política, da realidade social e da economia, como também da cultura, das ciências e das artes, da vida internacional, dos meios de comunicação e de outras realidades abertas à evangelização”. " (DAp 283)



O que o texto me diz?
O texto me fala da capacitação dos leigos e leigas:
- deve contribuir, antes de mais nada, para sua atuação como discípulos missionários no mundo, na perspectiva do diálogo e da transformação da sociedade;
- É urgente uma formação específica para que possam ter incidência significativa nos diferentes campos;
-  os leigos devem ser preparados para o mundo da política, da realidade social e da economia, como também da cultura, das ciências e das artes.
Existe na minha comunidade esta preparação dos leigos? Como?


O que o texto me leva a dizer a Deus? Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental.

50. Formação: acompanhantes espirituais e pastorais

O que diz o texto?
"Cada setor do Povo de Deus pede que a pessoa seja acompanhada e formada de acordo com a peculiar vocação e ministério para o qual tenha sido chamada: o bispo é o princípio da unidade na diocese mediante o seu tríplice ministério de ensinar, santificar e governar; os presbíteros cooperam com o ministério
do bispo, no cuidado do povo de Deus que lhes foi confiado; os diáconos permanentes no serviço vivificante, humilde e perseverante como ajuda valiosa para os bispos e presbíteros; os consagrados e consagradas no seguimento radical do Mestre; os leigos e leigas cumprem sua responsabilidade evangelizadora colaborando na formação de comunidades cristãs e na construção do Reino de Deus no mundo. Requer-se, portanto, capacitar aqueles que possam acompanhar espiritual e pastoralmente a outros."
(DAp 282)

O que o texto me diz?
O texto dos bispos me fala da capacitação dos acompanhantes espirituais e pastorais:
- que a pessoa seja acompanhada e formada de acordo com a peculiar vocação e ministério para o qual tenha sido chamada.
- o bispo é o princípio da unidade na diocese mediante o seu tríplice ministério de ensinar, santificar e governar;
-  os presbíteros cooperam com o ministério
do bispo, no cuidado do povo de Deus que lhes foi confiado;
- os diáconos permanentes no serviço vivificante, humilde e perseverante como ajuda valiosa para os bispos e presbíteros;
- os consagrados e consagradas no seguimento radical do Mestre;
- os leigos e leigas cumprem sua responsabilidade evangelizadora colaborando
na formação de comunidades cristãs e na construção do Reino de Deus no mundo


O que o texto me leva a dizer a Deus?
Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental.

49. Formação: respeitosa de processos


O que diz o texto?


"Chegar à altura de uma vida nova em Cristo, identificando-se profundamente com Ele e sua missão, é um caminho longo que requer itinerários diversificados, respeitosos dos processos pessoais e dos ritmos comunitários, contínuos e graduais. Na diocese o eixo central deverá ser um projeto orgânico de formação, aprovado pelo Bispo e elaborado com os organismos diocesanos competentes, levando em consideração todas as forças vivas da Igreja local: associações, serviços e movimentos, comunidades religiosas, pequenas comunidades, comissões de pastoral social e diversos organismos eclesiais que ofereçam a visão do conjunto e da convergência das diversas iniciativas. Requer-se, também, equipes de formação convenientemente preparadas que assegurem a eficácia do próprio processo e que acompanhem as pessoas com pedagogias dinâmicas, ativas e abertas. A presença e contribuição de leigos e leigas nas equipes de formação apresenta uma riqueza original, pois, a partir de suas experiências e competências, eles oferecem critérios, conteúdos e testemunhos valiosos para aqueles que estão se formando. (DAp 281).



O que o texto me diz?
O texto dos bispos me fala que a formação respeitosa dos processos, requer:
- respeito dos processos pessoais e dos ritmos comunitários, contínuos e graduais.
- o eixo central deverá ser um projeto orgânico de formação,
- levar em consideração todas as forças vivas da Igreja local: associações, serviços e movimentos, comunidades religiosas, pequenas comunidades, comissões de pastoral social e diversos organismos eclesiais que ofereçam a visão do conjunto e da convergência das diversas iniciativas,
- requer, também, equipes de formação convenientemente preparadas que assegurem a eficácia do próprio processo e que acompanhem as pessoas com pedagogias dinâmicas, ativas e abertas,
- a presença e contribuição de leigos e leigas nas equipes de formação apresenta uma riqueza original.


O que o texto me leva a dizer a Deus?
Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental.

48. Formação: Dimensões


O que diz o texto?
DAp 281).
" a) A Dimensão Humana e Comunitária. Tende a acompanhar processos de formação que levam a pessoa a assumir a própria história e a curá-la, com o objetivo de se tornar capaz de viver como cristão em um mundo plural, com equilíbrio, fortaleza, serenidade e liberdade interior. Trata-se de desenvolver personalidades que amadureçam em contato com a realidade e abertas ao Mistério.
b) A Dimensão Espiritual: É a dimensão formativa que funda o ser cristão na experiência de Deus manifestado em Jesus e que o conduz pelo Espírito através dos caminhos de um amadurecimento profundo. Por meio dos diversos carismas a pessoa se fundamenta no caminho da vida e do serviço proposto por Cristo,
  com um estilo pessoal. Assim como a Virgem Maria, essa dimensão permite ao cristão aderir de coração e pela fé aos caminhos alegres, luminosos, dolorosos e gloriosos de seu Mestre e Senhor.
c) A Dimensão Intelectual: O encontro com Cristo, Palavra feita carne, potencializa o dinamismo da razão que procura o significado da realidade e se abre para o Mistério. Ela se expressa em uma reflexão séria, feita diariamente no estudo que abre, com a luz da fé, abre a inteligência à verdade. Também capacita para o discernimento, o juízo crítico e o diálogo sobre a realidade e a cultura. Assegura de uma maneira especial o conhecimento bíblico-teológico e das ciências humanas para adquirir a necessária competência em vista dos serviços eclesiais que se requeira e para a adequada presença na vida
secular.
d) A dimensão Pastoral e Missionária: Um autêntico caminho cristão preenche de alegria e esperança o coração e leva o cristão a anunciar a Cristo de maneira constante em sua vida e em seu ambiente. Projeta para a missão de formar discípulos missionários para serviço do mundo. Habilita a propor projetos e estilos de vida cristão atraentes, com intervenções orgânicas e de colaboração fraterna com todos os membros da comunidade. Contribui para integrar evangelização e pedagogia, comunicando vida e oferecendo itinerários de acordo com a maturidade cristã, a idade e outras condições próprias das pessoas ou dos grupos. Incentiva a responsabilidade dos leigos no mundo para construir o Reino de Deus. Desperta uma inquietude constante pelos distanciados e pelos que ignoram o Senhor em suas vidas
.
"


O que o texto me diz?
O texto dos bispos me fala que a formação tem diversas dimensões:
- a) A Dimensão Humana e Comunitária. Tende a acompanhar processos de formação que levam a pessoa a assumir a própria história
- b) A Dimensão Espiritual: É a dimensão formativa que funda o ser cristão na experiência de Deus manifestado em Jesus e que o conduz pelo Espírito
- A Dimensão Intelectual: O encontro com Cristo, Palavra feita carne, potencializa o dinamismo da razão que procura o significado da realidade e se abre para o Mistério.- comunitária e
- d) A dimensão Pastoral e Missionária: Um autêntico caminho cristão preenche de alegria e esperança o coração e leva o cristão a anunciar a Cristo de maneira constante em sua vida e em seu ambiente.


O que o texto me leva a dizer a Deus?
Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental.

47. Formação: dimensões


O que diz o texto?
DAp 281).
"A formação abrange diversas dimensões que deverão ser integradas harmonicamente ao longo de todo o processo de formação. Trata-se da dimensão humana comunitária, espiritual, intelectual, comunitária e pastoral-missionária."


O que o texto me diz?
O texto dos bispos me fala que a formação tem diversas dimensões:
- humana comunitária,
- espiritual,
- intelectual,
- comunitária e
- pastoral-missionária.

O que o texto me leva a dizer a Deus?
Faço, com toda a Igreja, a
Oração do Brasil na missão continental
Senhor, Deus da vida e do amor,
enviastes o vosso Filho
para nos libertar das forças da morte
e conduzir-nos no caminho da esperança.
Movei-nos pelo dom do vosso Espírito!
Fazei-nos discípulos,
comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria,
em comunhão com a Missão Continental.